Adolescente Peituda Da Cintura Fina Tomando Rola Fundo Na Bucetinha

visualizações

8 min

Categoria:

Tag: , , , , , , , , , , , , , ,

Adolescente Peituda Da Cintura Fina Tomando Rola Fundo Na Bucetinha

Adolescente Peituda Da Cintura Fina Tomando Rola Fundo Na Bucetinha

A deixo na sua casa, como seu fosse um Uber, nos despedimos com um selinho. Mas quando estávamos saindo do motel, bem na portaria encontramos com dois amigos da nossa turma, que estavam entrando com as suas namoradas, fizemos de conta que não nos conhecíamos, mas algum deles contou para o meu cunhado, ai aquele dia do churrasco ele chegou perto de mim e me falou, que sabia o que tinha acontecido comigo lá em porto seguro, eu me fiz de desentendida e falei, eu conversei com um colega da faculdade, almoçamos e jantamos juntos, porque o que foi que aconteceu, meu cunhado deu uma risadinha e disse o que aconteceu eu não sei, eu só sei que viram você saindo do motel acompanhada de um amigo, ai eu percebi que eu estava no mato sem saída, então perguntei quem tinha lhe contado, ele me respondeu foi um passarinho, também já não importava quem tinha lhe contado, mas eu fiquei assustada porque apesar de ter sido antes de estar casada, mas eu estava noiva e faltava um semana para o meu casamento e porque o meu marido é muito ciumento, eu não sei qual seria a reação dele se ele descobrisse essa traição, então lhe perguntei mas porque você está dizendo isso agora, ele me respondeu não se preocupe, eu não vou contar nada pro meu irmão porque ele é muito chato, mas tem um preço pra que eu não fale e fica tudo em segredo entre nós dois.

Era morena, baixinha de cabelos cacheados até a altura dos ombros, magrinha peituda, uma graça.

Ela estava em casa, uma tarde, e seu filho Norberto, um garotão que deixava as colegas da faculdade doidinhas por ele, estava no banheiro, tomando banho.

Com a outra mão me segurou pela cintura com bastante pegada, e soltou o melzinho dentro do meu cú, me sujando toda de porra, me chamando de cunhada putinha. "Depois que go*ei, fechei os olhos para sentir todo aquele pau que continuava, entrando e saindo de dentro da minha boceta, cada ve* mais rápido, até que ele parou,respirou fundo e ergueu-se. Chegando em um dos box ele abre a porta e pede pra eu entrar com um gesto eu obedeço, estava em transe, ainda sem graça de cabeça baixa encosto na parede, ele fechou a porta e levantou meu rosto e me beija eu não sabia o que fazer só fechei os olhos e prendi a respiração – calma não vou morder – me beijou outra vez em suave passando a língua nos meus lábios, abri a boca e recebi seu beijo e logo já estava retribuindo, ele foi se aproximando e encostando em mim quando lindo suas mãos não minha sentia me erguendo, eu era baixinha magra de cintura fina morena clara e cabelos cacheados, ainda estava reformando por isso meus seios ainda estavam despontando eu era uma menina e ele um adolescente era alto fiquei de ponta de pé até que nosso corpos se encaixaram tendi algo diferente era seu pau pressionando minha chaninha apesar de estar de causa conseguia sentir bem, fiquei tão excitada como quando via os filmes do meu pai que quando percebi estava com meus braços e seu pescoço e me esfregando nele. Me aproximei e iniciei uma chupada gulosa nos peito de minha comadre, Kelly embaixo de nos, chupava gulosamente a bucetinha da Thais.