Brasileira amadora amiga vadia da faculdade muito peituda mamando com vizinho de recife

Brasileira amadora amiga vadia da faculdade muito peituda mamando com vizinho de recife

Brasileira amadora amiga vadia da faculdade muito peituda mamando com vizinho de recife

No dia seguinte a historia se repetiu, eu perguntei a ela se havia visto a rola dele de novo, ela disse que não, mais deu uma risadinha e disse mais eu fui tentar ver mais não deu e ficamos novamente exitados, eu então acabei falando na hora, já pensou aquela rola te arrombando, ela disse nossa que delicia, eu então falei você ficou com tesão para meter com ele, ela me respondeu eu sou uma mulher casada, se eu não fosse, ate poderia pensar, mas eu fiquei insistindo, ela disse você quer saber mesmo fiquei sim, nunca vi uma coisa daquela,ate gostaria mesmo de poder tocar, eu então falei e você acha que ele vai deixar você tocar sem sem meter ela todinha ai aqui dentro, e verdade teria que dar a boceta e o cu para ele, eu perguntei mais você teria coragem, se eu não fosse casada, ate poderia pensar no assunto, mais não adianta ficar falando no impossível, bem porque ele e seu primo, eu então perguntei e se eu deixar você dar para ele você daria, ela disse e melhor a gente parar por aqui, eu perguntei porque, porque esta conversa não vai levar a nada, só mesmo me deixar com mais tesão, eu então disse por isso mesmo que temos que conversar, ela então perguntou você esta querendo ser corno, se você deixar eu ate tenho coragem de tentar, eu então respondi esta bem vou arrumar isso,"Tenho 25 anos, sou universitário, estudo numa faculdade renomada no interior do estado de São Paulo no período da manhã e às vezes após as aulas e o almoço no restaurante universitário passo no escritório de advocacia do meu pai, que fica no caminho entre a minha casa e a faculdade.

”Amanda ouvia a tudo de olhos vidrados, excitada com a história da amiga, querendo detalhes.

Ele se deitou ao contrario, enfiou o pau na minha boca de novo e cai mamando o meu.

Era morena, baixinha de cabelos cacheados até a altura dos ombros, magrinha peituda, uma graça.

Era de descendência brasileira, pele morena (café com leite), bonita, cabelo encaracolada e negro, elegante, com uma bunda saídinha e curvilínea tanto para fora como nos lados, pernas compridas mas grossas que estreitavam desde as coxas bem compostas até aos tornozelos delicados.

"Tivemos um vizinho – de prédio, não de mesmo andar – muito amigo nosso, mas que não conseguia esconder a excitação dele quando via a Meg na piscina do prédio. Nos divertimos muito durante a noite, jogando conversa fora e afins.

…O dia da viagem chegou,dia 20 de Novembro,teríamos 10 dias livres;combinamos de todos levarmos nossas mulheres pra pegar o vôo em Recife e de lá estaríamos livres,mas para mim foi um pouco mais complicado porque minha sogra também quis ir com minha esposa e tive que ficar com meu sogro,que é um cara legal,tem 58 anos,aposentado do Exército e bem conservado e minha sogra me confiou para tomar conta do coroa. rnQuando a cabeleireira, a costureira e a maquiadora saíram meu sogro então disse:rn-minha putinha vadia está linda vestida de noiva…sempre tive tesão de comer uma noiva antes do casamento e agora quero fazer isso…vem…putinha ajoelha na cama…vou te comer…bem gostoso…rnNa hr pensei em recusar…achei muita loucura…mas em segundos senti meu grelo latejar e toda safada levantei a parte de trás do vestido e fiquei de 4 na beira da cama e disse toda sensual:rn-vem…meu macho safado…tira o cabacinho da noivinha…vem…come sua putinha…bem gostoso…seu tarado!rnEle puxou a calcinha do lado e de uma sá vez meteu aquele pauzão grosso e duro na minha bucetinha…dei um gemido e sem pudor rebolei naquela pica deliciosa…meu sogro metia que nem louco e dessa vez não conseguiu se segurar e gozou como um cavalo…enchendo minha bucetinha de porra fervente…quase desfaleci de tanto prazer…aquela loucura me levara a uma excitação incontrolável e gozei copiosamente.