Gozando Dentro Da Esposa Do Corno

Gozando Dentro Da Esposa Do Corno

Gozando Dentro Da Esposa Do Corno

Claudia ficou sentada ao lado com uma mão no rosto de Marcelinha, fazendo carinho e a outra em sua buceta, eu comecei a socar sem dó com uma mão segurando a bunda de Marcelinha e a outra puxando sua calcinha , cada vez que eu dava uma diminuída no ritmo Marcelinha jogava seu rabo para trás e dizia arrebenta a minha calcinha, eu ficava loko, fazendo uma força do caralho para arrebentar a calcinha dela, até que eu consegui deixando uma marca bem profunda naquele corpo branquinho, criado no leite, assim que arrebentou, ela pediu para Claudia dar em sua mão, no momento que ela pegou das mãos de Claudia e pôs na boca e começou a urrar, e Claudia dizia para eu foder sem dó, comer a vadia dela, ai não aguentei mais, gozei dentro dela, encharquei o rabinho dela de porra, não foram tantos jatos de porra, mas deu para ela, depois que tirei meu pau, forçar e sair porra do seu cuzinho. Não sei se houve alguma intenção nisso, mas minha esposa escolheu a segunda opção.

No dia seguinte a historia se repetiu, eu perguntei a ela se havia visto a rola dele de novo, ela disse que não, mais deu uma risadinha e disse mais eu fui tentar ver mais não deu e ficamos novamente exitados, eu então acabei falando na hora, já pensou aquela rola te arrombando, ela disse nossa que delicia, eu então falei você ficou com tesão para meter com ele, ela me respondeu eu sou uma mulher casada, se eu não fosse, ate poderia pensar, mas eu fiquei insistindo, ela disse você quer saber mesmo fiquei sim, nunca vi uma coisa daquela,ate gostaria mesmo de poder tocar, eu então falei e você acha que ele vai deixar você tocar sem sem meter ela todinha ai aqui dentro, e verdade teria que dar a boceta e o cu para ele, eu perguntei mais você teria coragem, se eu não fosse casada, ate poderia pensar no assunto, mais não adianta ficar falando no impossível, bem porque ele e seu primo, eu então perguntei e se eu deixar você dar para ele você daria, ela disse e melhor a gente parar por aqui, eu perguntei porque, porque esta conversa não vai levar a nada, só mesmo me deixar com mais tesão, eu então disse por isso mesmo que temos que conversar, ela então perguntou você esta querendo ser corno, se você deixar eu ate tenho coragem de tentar, eu então respondi esta bem vou arrumar isso,"Tenho 25 anos, sou universitário, estudo numa faculdade renomada no interior do estado de São Paulo no período da manhã e às vezes após as aulas e o almoço no restaurante universitário passo no escritório de advocacia do meu pai, que fica no caminho entre a minha casa e a faculdade. Ele me levou até perto da cabaninha, apiei do cavalo ele também desenbanhou a pica comprida mas fininha só presta pra chupar entra pela garganta a dentro vai até o estomago uma coisa de doido engoli minha dose de gala e poquei pra cabana, meu tio já tava meio de lado entocado assustado, cheguei de junto perguntei: que foi homem? ele disse: tem alguém fudendo aí também a coisa tá braba pelo jeito o cara tá esfolando a bandida toda é cada grito, cada urro, chega dar medo, não sei se tá gozando ou tá morrendo.