Loira Rabuda Do Ksal Tesao A Mil Transando No Banheiro

80 seg

Categoria:

Tag: , , , , ,

visualizações

80 seg

Categoria:

Tag: , , , , ,

Loira Rabuda Do Ksal Tesao A Mil Transando No Banheiro

Loira Rabuda Do Ksal Tesao A Mil Transando No Banheiro

O padre sentiu aqueles peitões encostar nele naquele abraço e ela e olhou pra ele e disse o senhor gostou do que viu no banheiro? Ele balançou a cabeça dizendo que sim.

""Em uma bela noite decidi ir a casa de swing com minha peguete já que éramos dois safados queria ver ela transando com outra mulher, a noite estava ótima chegamos começamos a beber uns drinks chegou casal um senhor bem aparentado e uma loira muito gostosa eu já fiquei todo empolgado eles perguntaram se éramos novos na casa de swing respondi que só estávamos conhecendo a casa e queríamos realizar uma fantasia queria ver minha peguete com outra mulher enquanto euFicava curtindo do vouyerismo , então o senhor vem aparentado já falou a realidade, que a mulher dele havia gostado do casal é que queria transar principalmente com minha peguete eu já logo fiquei com o pau latejando mas como tudo que é bom dura pouco tinha uma condição que para transar com a mulher dele eu teria que comer ele primeiro na hora acabou o tesao e não quis aceitar essa condição pois não é a minha praia nada contra quem curte minha peguete porém ficou doidinha para sair com a mulher porém não foi naquela noite que iria rolar.

-Ahhhhhh – Foi tudo o que ele conseguiu dizer no momento, e assim que recuperou o fôlego me chamou novamente de puta e repetia sem parar :– Aí que delícia, vai rebola mais, sua puta rabuda, vai, vai, isso, rebola essa buceta no meu pau vai.

Durante a ida eu resolvi surpreender ele pois eu estava cheio de tesão e comecei a passar a mão por com da calça dele e senti o pau endurecer, abri e comecei a punhetar ele enquanto dirigia, passava os carros e eu continuava masturbando ele que estava cheio de tesão. – Tu atirou em mim!!Apresentações,explicações e justificativas dadas,já estava sentada na cozinha com o kit de primeiros socorros e a Clara me limpando, era uma mulher digna de se olhar mais de uma vez,um belo espécime de fêmea,bem clarinha como seu nome, sem nenhum sinal ou sardas, loira, estava com os cabelos em um coque meio solto, com aqueles fios pendurados que te fazem querer colocar atrás da orelha, estava vestida com uma camisola de alças finas, comprida de um tecido bem delicado, fiquei imaginando que nem com cem anos de prática teria o potencial para acordar tão linda, ela tinha uma voz gostosa de se escutar.