Olívia Toda Tímida Ficou Mamando A Rola No Talento E Liberou A Xereca

Olívia Toda Tímida Ficou Mamando A Rola No Talento E Liberou A Xereca

Olívia Toda Tímida Ficou Mamando A Rola No Talento E Liberou A Xereca

Quando ele liberou a rola notei que tinha pensado certo;ele se aproximou da buceta dela,me chamou e disse : pega e coloca na buceta dela. Ao entramos o bonitão me mostrou o banheiro e falou para ficar bem a vontade, que a casa era minha, fui pro banho e por sinal uma delícia e retornei a sala peladinho achando que iria abafar, mas quando cheguei, encontrei os três se chupando todos pelados e com os paus duros e para meu delírio o bonitão tinha uma pica linda, média, grossa e bem cheia de veias levemente entortada para esquerda, olhou para mim e me chamou com uma das mãos e me segurando pelo braço me direcionou ao seu mastro, fiquei beijando bem devagar e passando a língua por todo o corpo duro do seu pau, rebolando o rabo na cara do meu amigo e do idoso que não parava de tentar acertar o dedo no meu cú, recebia alguns tapinhas e quando me dediquei a dar um trato melhor na pica do bonitão deixei de rebolar e o idoso em fim acertou seu dedo no meu rabo, fiquei chupando um pau delicioso e recebendo dois dedos no cú, um de cada coroa, segurei nas nádegas do bonitão e tentei enterrar todo seu pau na minha boca, e com ele todo dentro passei a língua no seu saco, ele foi ao céus e eu quase engasguei, ele segurou minha cabeça e pediu para eu ficar na mesa posição que estava só que agora mamando o idoso para ele meter no meu rabo.

Falei que era bonita também e que parecia ser pesada para carregar, ele riu e perguntou se eu queria segurar para sentir o peso, estiquei a mão e segurei, apertei e abri a mão com ela latejando na minha palma, na hora exalou um perfume de sexo gostoso, e não me contive e falei que ela estava perfeita para crescer na boca, ele se levantou ficou em pé na minha lateral e deixou sua bengala bem do lado do meu rosto, engoli a saliva para ele não sentir a língua quente do café e dei um beijo na cabeça, ele falou para não demorar pois não iria dar tempo de colocar ele todo na boca, abri bem a boca e fui sugando seu pau para dentro, ele gemia dizendo que eu era uma putinha gostosa que sabia o que estava fazendo, disse que nunca foi mamado assim com o pau mole, enterrei ele todo na boca, senti sua cabeça bater na minha glote e fiquei sugando passando a língua no sacão, seu pau latejava e dava uns saltos de ereção que quase me fez regurgitar, tirei ele da boca e seu pau duplicou de volume, seu Luiz perguntou o que eu iria fazer agora, falei que a casa não tinha como a gente fazer nada e ele falou que poderíamos ir para a sua casa que eu iria gostar muito, ele colocou o pau para dentro da sunga e eu levantei da cadeira com as pernas bambas, já havia dado o pontapé inicial para a loucura com o vizinho do meu amigo, mas ao chegar no portão estavam chegando o irmão do seu Luiz com a cunhada, ele ficou ainda dentro do meu portão para eles não desconfiarem do seu pau duro, conversou com seu irmão que foi logo entrando em sua casa, ele virou pra mim e perguntou onde eu iria dormir, falei que iria arrumar um canto e que dormiria até na cadeira de praia, ele então falou que tinha um quarto extra e que eu não precisaria dormir desconfortável.

Sinto uma queimação passando pelo meu corpo parando em direção a minha intimidade, eu sei que seus olhos estão me avaliado. Beto puxou o corpo de Olívia e sentou-se no sofá, ela ficou cavalgando nele por um tempo, depois ela, sem deixar o pau dele sair de dentro de sua xotinha, novamente ficou de quatro e continuou recebendo as bombadas que ele dava.

Mas tudo que ele fazia comigo eu praticava logo após com Guto, meu amado irmãozinho!! Foi com este homem mais velho que descobri meu talento pra boquetear!! Embora algumas vezes eu e meu marido praticássemos sessenta e nove, eu nunca sentira prazer!! Assim um dia eu tomei a decisão e disse pra Gil. Ainda sentados no sofá, jane com aquele vestido vermelho que deixava a motra a polpinha da bunda, sentou no meu colo, de costas pra mim, enquanto eu segurava os seus seios, eles cabiam perfeitamente nas minhas mãos, ela se encarregava de esfregar a buceta, que nessa altura já estava encharcada, no meu pau, ela ficou por muitos tempo se esfregando na minha pica, eu podia sentir a sua buceta molhando o meu pau de cima a baixo, ainda de calcinha, a qual com uma das mãos Jane puxava para o lado, ela pressionava a cabeça do meu pau contra o seu grelo, Jane esfregava meu pau na portinha da sua buceta, as vezes quase entrava, chegando a entrar meia cabecinha, ela se contorcia de tanta excitação, eu não não aguentava mais aquela provocação e estava doido pra ver minha pica entrando naquela buceta, que para a minha felicidade, era um pouco peluda e que de tão grande não cabia dentro da calcinha, foi então que algo em mim se engrandeceu e eu levantei do sofá disposto a meter logo naquela xereca, joguei jane em cima da mesa puxei a calcinha pro lado, dei uma pincelada na xereca dela com a cabeça da minha piroca apontando na entrada na buceta, pronto, agora era só empurrar, ia meter na pele, sem camisinha, porque queria sentir cada centímetro daquela buceta envolvendo meu pau, jane concordou mas um segundo depois gritou:Não resisti e meti a mão em baixo pra sentir aquele mijo que saia da sua buceta linda, e ela se assustou e tentou tirar minha mão, mas no meio desses movimentos bruscos acabou mirando em minha direção e me acertou com um pouco do seu xixi quente.