Pagando Boquete Escondido No Banheiro Da Festa

Pagando Boquete Escondido No Banheiro Da Festa

Pagando Boquete Escondido No Banheiro Da Festa

Sem perdermuito tempo ele me pega pela mao e me leva a seu quarto e pede pra eu ficar de quatro sobre ela, coloca a camisinha e volta a foder minha buceta, nao demora pra tocarmeu cuzinho com seus dedos massageando-o e com sua saliva tenta coloca-lo em mim, ele pede pra continuar nessa posição tira de mim e vai ao banheiro e rapidamente retorna e continua me fodendo, sinto algo gelado tocar meu cuzinho quente de tesao, seus dedos deslizam e me penetram com mais facilidade, logo estou pronta para receber aquelepau que depois de algumas gotas geladas a mais sinto ele devagar entrar em mim.

Escalei mais 50 peões pra próxima semana tem peão pagando pra ir primeiro conseguir receber três picas de vez no cu cinco na boca, engoli cerca de 5 litros de porra era gala que não acabava mais.

só que fiquei chupando o dedo, como se chupa um picolé, depois, mesmo com sangue estancado, eu continuei dando linguadas, e recebendo elogios por minha performance, sendo presenteado depois com uma bela pica tesa, onde pela primeira vez senti o cheiro, o gosto do sexo, virei uma espécie de porto salvador dos desejos de meu tio, que todas vezes a partir de então me fazia pagar um boquete, e em cada vez, aumentava e modificava as maneiras de carícias, como por exemplo, ele me enfiava o dedos, ou melhor dois dedos no cuzinho enquanto eu mamava até ele gozar em minha boca, aprendi desde cedo o quão é saboroso o gosto de porra quentinha…. Ela abriu a porta e sorrindo me disse :"Enquanto Tony me chupava, Andréia começou a chupá-lo deixando o jumento vivo novamente; Foi quando ela falou:-Olha Tony vc acabou limpando a porra toda, vai ter que colocar mais porra aih dentro novamente, mas com seu pau!!"Meu irmão me fodia com toda força, ele socava rápido e cada vez ia mais fundo e bem fundo, meu macho socava tão gostoso, que acabei gozando de novo e sem menos esperar e sem receber aviso, eu senti jatos e jatos de porra quente, explodindo dentro da minha bucetinha, eu já estava me levantando, quando ele me segurou e falou vem cá que agora vou fazer a festa na sua bundinha, eu me estremeci todinha, ao saber que ele ia socar aquele pau no meu cuzinho.

Com isso acabei me atrasando mais do que esperava, a liguei e ela não atendeu, fiquei preocupado e fui logo para casa, chegando fui entrando devagar e percebi um barulho estranho, parecia um tapa, quando olhei lá estava Joyce se agarrando com o Gabriel marceneiro, ele agarrava e batia na bunda dela com vontade, ela estava com um vestido que desenha bem demais suas curvas a deixando muito gostosa, fiquei enciumado assustado, mas sentia um tesao enlouquecedor e fiquei escondido so observando o Gabriel com a minha esposa, ele moreno alto e com uma rola enorme, de 20 cm acredito, vi que a Joyce ficou impressionada com a rola que é quase o dobro da minha.