Rabuda Branquinha pelada na escada do predio

Rabuda Branquinha pelada na escada do predio

Rabuda Branquinha pelada na escada do predio

uma vez que ela quem colocou a camisinha nele,como se ela estivesse dando o aval final pra toda aquela putaria ele estava quase gozando no oral, ele me levantou com tudo do chão, novamente me colocou sobre a mesa,dessa vez de bruços arrancou meu vestido,tirou minha calcinha,fiquei somente com os saltos, segurou meus cabelos, me deu uns bons tapas na xana, na bunda, e mandava eu empinar a bunda, mais e mais, levei muito tapa, como se fosse uma menina levada sendo punida por estar querendo tanto o pau dele dentro de mim, e como se ele estivesse lendo meus pensamentos ele socou toda aquela vara de uma só vez, sem charminho ou enrolações, minha xota estava pingando não foi tão difícil assim,ele foi um animal,me comeu, meteu gostoso , me puxava pelo cabelo na intenção de colocar cada vez mais fundo,me pegava pela cintura, aquele som característico, mas tão gostoso, arrepios percorrendo pelo meu corpo, não escutava mais a voz da Clara,estava escutando o encontro dos nossos corpos e sentindo o formigamento na base da minha coluna que antecede a um bom orgasmo,sem vergonha alguma incentivei entredentes:Fode,Fode,Fode sua vagabunda…Me deixa toda arrebentada,não para de me comer e mostra para a corna da tua esposa como que uma puta tem que dar!Ouvi os gemidos guturais do Carlos,e as ultimas bombadas que acompanharam com sincronia a minha explosão gozei muito gostoso,ele se jogou sobre mim e ficamos alguns segundos nessa posição, a Clara se aproximou, e deixou um beijo no meu ouvido.

a gente sabe que vc vai voltar putinha rabuda, e me comeram quase que diariamente por uns 40 dias….

Deixa eu ir malhar, espero te encontrar muitas vezes nesse prédio. Primeiro, ela usou um filó tampando parcialmente os seios, depois desnudou-os e acabou ficando pelada mesmo.

”Marcos enlaçou a cintura da morena que começava a ir na direção da escada da piscina, encoxando-a.

tomei um banho e disse a ela, que não adiantava insistir que se não a tivesse em meus braços não emprestaria o dinheiro, carina entrou no meu quarto eu estava acabando de colocar a bermuda ela chegou me ver só de cueca, mas não saiu do quarto, me aproximei dela e pedi um beijo, ela tentou se esquivar e eu disse: tá vendo você quer que eu te ajude mas foge de mim, ela sempre repetindo as mesmas palavras disse que me beijaria mas não iria transar comigo pois não poderia fazer isso com sua irmã, então envolvi minha cunhadinha gostosa em meus braços e ao mesmo tempo em que a beijava já fui passando a mão em todo seu corpo, principalmente nos seios e na bunda que é redondinha uma verdadeira delicia, ela se afastou e eu me aproximei e beijei-lhe novamente que boca gostosa, que saliva doce, eu não acreditava que aquilo estivesse acontecendo eram mais de 10 anos de tesão nessa mulher maravilhosa, então enlacei-a pela cintura e deitei-a na minha cama, ela ficou apavorada com medo de que alguém chegasse mas a acalmei, novamente comecei a beijar o rosto a boca o pescoço de minha cunhada, então prendi suas duas mãos no colchão e puxei um de seus seios pra fora, gente que teta maravilhosa de média pra grande, branquinha e com auréulas rosadas, xupei como um desesperado enquanto esfregava meu pau duro na boceta dela sem tirar-mos a roupa.