Sexo Anal Amador Com Brasileira

78 seg

Categoria:

Tag: , , , , , ,

visualizações

78 seg

Categoria:

Tag: , , , , , ,

Sexo Anal Amador Com Brasileira

Sexo Anal Amador Com Brasileira

ele entao mandou eu ficar de 4, eu nao sabia se aguentaria aquele pau, apesar das brincadeiras que tive e do pau nao ser grosso, nao tinha “usado” nada tao longo assim ainda.

Feche a porta quando sair, Diogo. Que menina era aquela, que delícia de oral, hora com movimentos mais rápidos, hora mais lentos.

Ao chegarmos em casa de madrugada, todos foram dormir e eu fui também, porém apenas troquei a roupa, coloquei uma camisola bem sexy, sem sutiã e sem calcinha e desci para tomar água, lá em baixo os meninos estavam assistindo televisão, eu fui para a cozinha e atrás de mim veio Henrique que novamente encostou em meu ouvido e disse:-Para de me provocar meninaEu apenas respondi-Não estou te provocando, mas se você está gostando aproveita. E como ele era bem bonitinho, Meg ficou encantada com as fotos que ele tirou dela e me perguntou se eu ficaria chateado se ela posasse seminua para ele. Ele queria que fizesse um filme erótico amador, onde ele seria o diretor e câmera, e eu seria sua atriz principal. Fode com força vai! Machuca essa buceta que ela é sua, só sua!Eu quase gozava quando ela falava isso.

Morávamos em uma grande capital brasileira, em um apartamento de 50 metros quadrados e para meu desespero minha filha ganhou um poodle macho de presente, cachorro já da trabalho, imaginem dentro de um apartamento.

"Olá, meu nome é Stella, sim, igual o da cerveja, tenho 24 anos, sou morena, 1,65m, morena, falsa magra, bundinha média, cintura fina e seios enormes, que deixam os homens babando quando passam por mim, nem conseguem disfarçar, o que me deixa com muito tesão. E eu tirei, fiquei só de calcinha e continuei errando de propósito, então ele sugeriu que eu devia ficar pelada. Ele a carregou para o quarto, colocou-a deitada na cama, fez ela ficar na posição de frango assado e lambeu a xotinha de tal forma que ela gemeu, descontrolada.

Ela chegava a dobrar os joelhos e eu conseguia segurar os pezinhos dela também, botando as minhas mãos nas solas dela. Eu pensei, ai ai ai…isso não vai prestar! Ela toda alegrinha e sorridente, sem pudor nenhum em se comportar com aquele vestidinho curto, o safadão aqui se aproveitando pra olhar e desejar aquelas pernas deliciosas e louca pra ver pelo menso a cor da sua minúscula calcinha.