Video safada crente comendo a safada colega da escola bem – sp

Video safada crente comendo a safada colega da escola bem – sp

Video safada crente comendo a safada colega da escola bem – sp

– O que é isso, Cecília?– Chefinho, eu acho que você precisa testar todos os ambientes do apartamento, para ver se eles estão dentro do que você planejou.

Minha vida transcorria dentro da normalidade, até que um dia, olhando putaria na internet, abri um site que continha filmes héteros e gays, o que só descobri ao abrir um vídeo que continha uma cena gay. Eu levei a mão da buceta à minha boca e provei do meu licor, com uma cara safada que qualquer homem adora.

– Obrigado, já falei que você tem uma bunda muito deliciosa?– Haha obrigada!– Vamos cozinhar?– Vamos, tem macarrao!Então começamos a preparar o macarrao e enquanto ele fazia o macarrao eu fazia o molho. Eu não sei porque,mas sinto tesão de imaginar a cena de nõs 3 e de ver ele comendo outra na minha frente com meu consentimento, sozinho nem pensar!!!Depois volto pra contar se rolou ou não! Kisses, for yours. comSou casado com uma esposa puta safada chamada Fabiana, mas tudo começou quando namorávamos, ela é morena alta e gostosa, seios pequenos e uma bunda deliciosa.

Jogava como goleiro no time de futebol da escola, media mais de 1,80 metro (acho que a gente encolhe com a idade…) e era muito bonito (modéstia a parte).

Aquela situação me incomodou demais e foi inevitável começar vigiar minha mãe, temia um escândalo, porque se meu avô sabe uma coisa desta, nossa! Estava com medo, porque nunca vi minha mãe com homem desde a morte do meu pai, ela sempre foi vista como uma mulher séria, crente, pensava que ela poderia estar fazendo algo pior.

Sua xaninha estava quente e molhada e eu podia sentir quando ela contraia e apertava levemente meu pau dentro dela.

Ele segurava minha cabeça e forçava a sua cadência para eu não ir mais longe que o autorizado, o bonitão então ficou colocando sua mão na minha bunda por cima da calça e apertava com vontade, eu ainda dava umas empinadinhas para deixa-lo mais tesudo, o que o fez soltar meu cinto e afrouxar minha calça e sua mão adentrar minha cueca e seus dedos acharem meu cú, ainda tentei falar que estava suado e que precisaria de uma lavada, ele nem se incomodou e cravou um dedo no meu rabo, fomos até o seu apartamento com ele enterrando o dedo no meu rabo e eu chupando a pica do velhinho.

Alguns calouros (as), colegas e duas veteranas foram me ajudar. Ela sabia que estava dando uma cartada maluca, podia ser demitida, mas não podia deixar de tentar.